https://youtu.be/QLCDymoJD_0

Os Meus Livros

https://youtu.be/Fke4JjUZDTs

posts recentes

A FONTE DAS VIRTUDES

O TEMPO PASSA...

MEU AMOR

Depois do natal

Teatro na universidade au...

TEATRO PARA CRIANÇAS - NA...

CHUVA

A MINHOTA

O DIABO NO VERÃO DE 2017

ABSTENÇÃO ELEITORAL

arquivos

pesquisar

 
https://youtu.be/Fke4JjUZDTs
Sexta-feira, 19 de Fevereiro de 2010

POEMA II - INSUBMISSÃO DOS AFECTOS

Talvez eu não seja mais do que essa suspeita mulher

violadora de certezas e mentiras;
essa vilã percorrendo avenidas e vielas
de olhares lúgubres e roxos
como os espectros gesticulando nas esquinas.
 
Ou talvez me deixe ficar na soleira melancólica
dos invernos
como os pirilampos que fosforescem na escuridão
fazendo reacender uma réstia de luz
o antigo rumor dos corpos enlouquecendo
no veneno das línguas.
 
(In Insubmissão dos Afectos)
Bernardete Costa
 
publicado por Bernardete Costa às 16:07

link do post | comentar | favorito