https://youtu.be/QLCDymoJD_0

Os Meus Livros

https://youtu.be/Fke4JjUZDTs

posts recentes

ESPETÁCULO UAE (UNIVERSID...

PORTUGAL EM FESTA

O REI TRISTE

A VOZ DO RIO - CONTO INFA...

A POESIA NA ESCOLA DE ABA...

ÓDIO

SORRISO

LUXÚRIA

BORRASCA DA GROSSA

TARDE DE MAIS

arquivos

pesquisar

 
https://youtu.be/Fke4JjUZDTs
Domingo, 26 de Fevereiro de 2017

ÓDIO

 

A morte a destempo. Não fora um acidente fortuito, uma doença imprevista, uma congestão alimentar… Não identificava o motivo, apenas se focalizava na violência. Uma enorme adaga cortava em pedaços o corpo. Alguém exercia a crueldade gerada por um ódio inexplicável. Sentia esse ódio mesmo que não identificasse as razões. Ódio puro. Irracional. O mundo estava possuído pela raiva como se todos os homens fossem meras feras. A humanidade destituía-se de sentimentos. Nem a maldade lhe era bastante.  Porque por vezes a caminho ou a meio caminho da maldade, surge o arrependimento, um qualquer estremecer que alivia a morte. Ainda que sempre morte. Mas não, a adaga cortava com precisão e sem qualquer hesitação aquele corpo em grandes sulcos de carne sanguinolenta.  E ela, como que aprisionada por forças inconcebíveis, mesmo diabólicas, não conseguia soltar um grito a pedir socorro. Apenas aquele demónio na garganta, uma dor tamanha que a arranhava e a sufocava.

Quando ao longe, os seus braços enormes se abriram vagarosamente. Olhou-o entre incrédula e confiante. Não se mexeu. A dor paralisava-a. No seu campo de visão persistia o corpo retalhado, e alguém o esfaqueava uma vez após outra. Ele chegou-se perto. Tão terno, tão tranquilo. Como se aquele ódio, aquela violência, aquele mundo de feras fosse uma enorme mentira. Como se aquele mundo fosse um sonho mau e horrível. Ela apenas teve forças para se aninhar nos seus braços. Neles sentiu toda a doçura da esperança.

publicado por Bernardete Costa às 19:23

link do post | comentar | favorito
 O que é? |  O que é?