https://youtu.be/QLCDymoJD_0

Os Meus Livros

https://youtu.be/Fke4JjUZDTs

posts recentes

ESPETÁCULO UAE (UNIVERSID...

PORTUGAL EM FESTA

O REI TRISTE

A VOZ DO RIO - CONTO INFA...

A POESIA NA ESCOLA DE ABA...

ÓDIO

SORRISO

LUXÚRIA

BORRASCA DA GROSSA

TARDE DE MAIS

arquivos

pesquisar

 
https://youtu.be/Fke4JjUZDTs
Terça-feira, 5 de Julho de 2016

A NATUREZA ZANGOU-SE COM A MINHA PRAIA

 

 

Esta foi uma tarde, uma bela tarde de campo, jardim, praia…

Na memória, nesta tarde, tantas outras tardes a subirem devagarinho pelas escadinhas das emoções, a sugarem-me da alma extensões de areia doirada, imensidões por onde caminhava à descoberta das rochas pejadas de mexilhões, a panela a fumegar, aromáticos, com uma manta de cebola bem picada, umas gotas de limão, umas folhas de salsa ou de coentros; uma praia onde os búzios me traziam o eco do mar quando arrumados nas prateleiras da casa, ouve o mar, ouve o mar, convencia as incrédulas crianças; uma praia onde os beijinhos me sorriam num convite para encher o saco e também levar, tantos beijinhos, para ti, beijinhos diminutos e belos, beijinhos que te dou, repenicados beijos no rosto doce da infância.

Depois o mar. A água revolta, a bandeira amarela, vermelha, verde… Que gelo! Os ossos a gemerem no gélido oceano, mas a água a seduzir, primeiro eu, depois tu, todos num turbilhão, salpicos a arrepiar os mais hesitantes, não, não, ui, que gelo,  e logo o mergulho atrás de mergulho, o corpo a adaptar-se e todos a procurar aquecimento nas braçadas que venciam as ondas, à descoberta de outros longes… E o apito zangado do nadador salvador! E os risos, as gargalhadas no retorno. As toalhas onde nos deitávamos a procurar o calor do sol que lá em cima refulgia e dizia, é verão, toma-me! E as pulgas gordas e brancas, tantas, chape, chape, ui…, ui…

Hoje foi dia de praia. Não a reencontrei como a deixara nesse tempo de adolescência. Não há mexilhões, nem beijinhos, nem gordas pulgas, nem o gelo da água derrete com as braçadas que mais não dou. Nem os amigos e as crianças  voltaram desse tempo distante, um atrás do outro, todos num turbilhão, salpicos a arrepiar os mais hesitantes… Nem me seduz mais o longe.

O lugar é o mesmo. Mas a natureza zangou-se com a minha praia.

 

P1060708.JPG

 

publicado por Bernardete Costa às 18:50

link do post | comentar | favorito
 O que é? |  O que é?