https://youtu.be/QLCDymoJD_0

Os Meus Livros

https://youtu.be/Fke4JjUZDTs

posts recentes

ESPETÁCULO UAE (UNIVERSID...

PORTUGAL EM FESTA

O REI TRISTE

A VOZ DO RIO - CONTO INFA...

A POESIA NA ESCOLA DE ABA...

ÓDIO

SORRISO

LUXÚRIA

BORRASCA DA GROSSA

TARDE DE MAIS

arquivos

pesquisar

 
https://youtu.be/Fke4JjUZDTs
Terça-feira, 26 de Junho de 2012

POESIA DE Mohammed Dib



«Contraluz»

as aves surgem,
acende-se uma chama
eis a mulher.

sem nomes nem laços, nem véu
errando de olhos fechados
a mulher sob a frescura do mar.

mas bruscamente voltam as aves
e alonga-se esta chama
mais do que entreapercebida
no fundo do quarto.

e é o mar.
o mar de braços adormecidos
transportando o sol,
nem oriente, nem norte, nem obstáculo nem barra,
o mar.

nada, a não ser o mar tenebroso e doce
caído das estrelas, testemunha das mutilações do céu,
solidão, pressentimento, sussurros.

nada a não ser o mar.
os olhos extintos
sem vaga, nem vento, nem vela.

bruscamente de novo as aves,
e eis a mulher
nem estrela nem sonho, nem géiser, nem roda, a mulher.

as aves voltam
e nada mais que o mar.

 

 

Mohammed Dib (1920-2003)
Argélia

Mohammed Dib é o escritor mais representativo da Argélia, considerado o pai do romance argelino contemporâneo e um intelectual comprometido com a história do seu país.
Faleceu em Maio de 2003, em La Celle Saint Cloud, perto de Paris, com 82 anos.


 

(Obrigada Porosidade Etérea por este belíssimo poema)


 

publicado por Bernardete Costa às 14:56

link do post | comentar | favorito
 O que é? |  O que é?