https://youtu.be/QLCDymoJD_0

Os Meus Livros

https://youtu.be/Fke4JjUZDTs

posts recentes

O REFLEXO NO ESPELHO

"O VELHO DA HORTA", PELA ...

MÚSICA DE TODOS OS TEMPOS...

ESPETÁCULO UAE (UNIVERSID...

PORTUGAL EM FESTA

O REI TRISTE

A VOZ DO RIO - CONTO INFA...

A POESIA NA ESCOLA DE ABA...

ÓDIO

SORRISO

arquivos

pesquisar

 
https://youtu.be/Fke4JjUZDTs
Segunda-feira, 30 de Abril de 2012

DIA INTERNACIONAL DO JAZZ...COM RUI KNOPHLI

Porque é o dia internacional do jazz, pela primeira vez (vá lá, um dia com interesse cultural)...

Letra de Rui Knophli para um solo de Charlie Parker

 

Como estranha ave de presa

... que ferida de morte flectisse

a hipérbole do voo na agonia

prolongada, é um canto angular,

terso, mas de arestas poluídas.

Polígono torturado, perturba-o

a iminência adiada de um grito

de socorro. Em sua chama viva

perpassam secretas vozes de rebeldia,

bárbaros sons de tormenta. No clamoroso

incêndio da ira e da raiva

(é preciso saber escutar),

a urgência implorativa

de um pouco de ternura.

 

in «poezz»

Jazz na Poesia em Língua Portuguesa

Selecção: José Duarte e Ricardo António Alves

Almedina, 2004

publicado por Bernardete Costa às 16:18

link do post | comentar | favorito
 O que é? |  O que é?