https://youtu.be/QLCDymoJD_0

Os Meus Livros

https://youtu.be/Fke4JjUZDTs

posts recentes

O REFLEXO NO ESPELHO

"O VELHO DA HORTA", PELA ...

MÚSICA DE TODOS OS TEMPOS...

ESPETÁCULO UAE (UNIVERSID...

PORTUGAL EM FESTA

O REI TRISTE

A VOZ DO RIO - CONTO INFA...

A POESIA NA ESCOLA DE ABA...

ÓDIO

SORRISO

arquivos

pesquisar

 
https://youtu.be/Fke4JjUZDTs
Terça-feira, 20 de Setembro de 2011

O GOZO DA PIPI (ponha a música a tocar)

 

 

Numa ânsia de lava a derreter gelos,

a pipi chameja na escondida matriz da flor de lis;

a pipi geme, saltita, amotina-se, se a ela a ausência se chega.

Tímida, uma súplica a desabrochar virilhas.

 

  

Oh, pianíssimo chopin a atear essências, olor almiscarado

que os dedos bebe e seus lábios de anil ofertam.

A pipi é anjo demónio, fogo e luz, nimbada de desejo, 

faminta na cupidez da língua, cintilante

na inquietude da seda rosada.

 

 

Atento, o falo, ainda esquivo a penetrar no aprisco,

deleita-se em veludos que a pipi em odores se enfeita.

Ah, ali há fenda, inundação, travo a rosa brava.

 

 

A pipi goza o céu com sucos e mosto e gosto: 

toca estrelas que intumescem a modorra da flor.

E a loucura maior toma a pipi em seus braços;

acende o arco-íris, retesa e dilata-se, a escorrer  lume,

carmesim vício no feitiço da boca.

 

                           

A pipi é serpente, onda, é vírgula intumescida; 

a pipi se afoita, afunda a lonjura dos dedos,

queima, palpita, torrente de água em leito esconso;

 

 

Ah, pipi, em laivos de desmesura, gozas a nudez potente

do eros ereto em névoas leitosas; tu a fundires-te

nesse amplexo de ondas e pérolas preciosas

na mater concha dos amores.

 

 

Por fim, a ofídia silencia-se num arrepio líquido 

de maré e sal; e a razão apaga-se do cérebro;

 

 

a pipi derrama-se lasciva, rumoreja, encrispa-se

no brasido da volúpia e da luxúria,

nave e remo a naufragar em espuma e mar.

 

 

A pipi ergue-se num vagar de melancolia,

e tudo tomba à sua volta, se apazigua.

A existência é ela própria, apenas a sinfonia do deleite

lhe presenteia a vida, Afrodite entre os deuses,

a mais bela das flores num tumulto irracional, vencida.

 

 

Equívoca, pipi é ave a voar na plenitude do gozo,

mas a recitar poesia; louca pipi no desconcerto de asas,

fulgor de estrelas a temer  ausências

 

         numa orgia nacarada de luz...

 

 

 

Bernardete Costa

  

publicado por Bernardete Costa às 17:35

link do post | comentar | favorito
 O que é? |  O que é?