https://youtu.be/QLCDymoJD_0

Os Meus Livros

https://youtu.be/Fke4JjUZDTs

posts recentes

ABSTENÇÃO ELEITORAL

ELEIÇÕES AUTÁRQUICAS 2017

O REFLEXO NO ESPELHO

"O VELHO DA HORTA", PELA ...

MÚSICA DE TODOS OS TEMPOS...

ESPETÁCULO UAE (UNIVERSID...

PORTUGAL EM FESTA

O REI TRISTE

A VOZ DO RIO - CONTO INFA...

A POESIA NA ESCOLA DE ABA...

arquivos

pesquisar

 
https://youtu.be/Fke4JjUZDTs
Segunda-feira, 21 de Fevereiro de 2011

FASCÍNIO D' ÁGUA

 

O pescador não adormece sob o feitiço da lua

nem o brilho das estrelas o seduz.

Ouve a voz do rio num desafio e sente-lhe a alma como sua.

Ele confia os braços aos remos;

esquece o prenúncio das gaivotas em terra

e no fascínio ondulante das ondas

rejeita o ancoradouro que  lhe oferece a distinta luz.

 

Só um momento de indecisão entre a vida e a morte

e nos cabelos das ninfas se enreda - origem liquida do ser.

A morte no rio e no mar é uma silhueta recortada na água:

uma medusa, uma nereida num destino qualquer

acolhendo o pescador em seu seio de mulher.

 

 

Bernardete Costa

 

 

publicado por Bernardete Costa às 23:26

link do post | comentar | favorito
 O que é? |  O que é?